Terça, 17 de Maio de 2022
Canaã dos Carajás Decisão da justiça

Sem 'largar o osso', Equipe de Canaã tem 5 dias para acertar com ex-funcionários

Atuando com liminar, Equipe ignora a Vale, convoca profissionais e diz que vai fazer matrículas a partir desta segunda (24). Antes, no entanto, Colégio precisa se entender com a Justiça do Trabalho

23/01/2022 às 19h44 Atualizada em 23/01/2022 às 21h16
Por: Kleysykennyson Carneiro
Compartilhe:
Sem 'largar o osso', Equipe de Canaã tem 5 dias para acertar com ex-funcionários

Mais um capítulo da novela envolvendo o Colégio Equipe de Canaã dos Carajás, a mineradora Vale e comunidade escolar. Ex-funcionários do Colégio, que cumpriram aviso prévio, entraram com ação judicial coletiva contra as duas empresas. A resposta da Justiça do Trabalho foi rápida e, como era de esperar, favorável aos centenas de educadores demitidos: o Equipe precisa pagar funcionários demitidos o quanto antes. Os valores de rescisão, inclusive, já deveriam ter sido acertados.

A juíza titular da 4ª Vara do Trabalho de Parauapebas, Suzana Maria Lima de Moraes Affonso Carvalho dos Santos, determinou que o Equipe forneça as chaves de conectividade para que os trabalhadores tenham acesso aos seus Fundos de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A Justiça também determinou que as guias para recebimento de Seguro-Desemprego sejam entregues aos profissionais. O Equipe tem cinco dias para atender a essa ordem judicial, a contar de quando foi notificado e pagará multa de R$ 1000,00 por dia de descumprimento. Segundo informações, o Colégio já recebeu notificação e esse prazo já está valendo.

A Justiça do Trabalho determinou ainda o bloqueio de créditos que o Equipe tenha junto à mineradora Vale. Essa decisão visa garantir o pagamento dos mais de 250 profissionais demitidos.

Do outro lado, o Equipe ignora a Vale, atua com liminar e já convocou os, até então, ex-funcionários para trabalhar a partir desta segunda-feira (24). A empresa também já anunciou, por meio de suas redes sociais, que matrículas já estão abertas e os pais dos alunos devem procurar a escola no prédio para resolver essa questão. Segundo informações apuradas pelo Gazeta Carajás, somente uma pequena parte dos ex-funcionários atendeu ao chamado do Equipe e vai trabalhar na segunda. 

A Vale, por sua vez, diz que a única empresa que possui contrato para gestão de sua escola é o Centro Educacional Primeiro Mundo. No entanto, como foi informado anteriormente, o Primeiro Mundo, para evitar constrangimentos, vai atender de forma temporária na Rua do Bosque, sem número, Parque dos Ipês.

Questionado sobre os pagamentos, o Equipe não enviou resposta ao Gazeta até o fechamento desta reportagem.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias