Terça, 17 de Maio de 2022
Canaã dos Carajás Caso Equipe

Canaã: em posse de liminar, Colégio Equipe ocupa prédio da Vale e diz que não vai sair

Mineradora já fechou parceria com Escola Primeiro Mundo, mas direção do Equipe não aceita o fim, já ocupou prédio, faz planejamentos para o ano e garante que aulas vão começar na quarta-feira (26). Confira resposta da Vale

22/01/2022 às 16h22 Atualizada em 22/01/2022 às 22h51
Por: Kleysykennyson Carneiro
Compartilhe:
Canaã: em posse de liminar, Colégio Equipe ocupa prédio da Vale e diz que não vai sair

A novela envolvendo o Colégio Equipe de Canaã dos Carajás, mineradora Vale e a escola Primeiro Mundo parece longe de ter fim e ganhou um novo capítulo neste sábado (22). A direção do Equipe conseguiu uma liminar na justiça paraense que garante a continuidade do contrato da empresa com a Vale.

Em posse deste documento, a direção da escola ocupou o prédio onde funciona a escola e começou a trabalhar na sexta-feira (21). Pelas redes sociais, a empresa convocou ex-colaboradores, que cumpriram aviso prévio, e anunciou que já faz o planejamento para o ano letivo de 2022. Os profissionais da escola Primeiro Mundo foram informados da liminar e, já tendo contrato firmado com a Vale, permaneceram na escola, trabalhando em uma única sala.

Ao longo de toda a sexta-feira (21), as duas empresas ocuparam o prédio simultaneamente, trabalhando.

Neste sábado (22), a surpresa: a direção do Equipe e ex-colaboradores convocados chegaram para trabalhar e deram de cara com os portões fechados por grossas correntes. Ninguém poderia entrar.

Os profissionais ficaram do lado de fora, aguardando informações. A Vale mandou segurança para o local e tinha, em mãos, um pedido de reintegração de posse da escola. A direção da empresa Primeiro Mundo não esteve no local pela manhã.

Roberto Elleres, que faz parte do coordenação do Equipe, esteve na porta do prédio pela manhã e afirmou que o contrato firmado entre Vale e Primeiro Mundo é irregular, pois não cumpriu trâmites legais. "Diante disso, a justiça expediu essa liminar. A Vale e essa escola que pertence ao Grupo Inspira estão impedindo a gente de trabalhar. É uma determinação judicial que eles estão descumprindo."

Roberto afirmou que pais, alunos e professores estão passando por constrangimento. "Nossos funcionários estão no sol esperando para trabalhar. Eles só querem isso: trabalhar. Os pais estão chegando para fazer matrícula e nada."

Segundo o próprio Equipe, a escola começaria a fazer matrículas neste sábado e iniciaria as aulas na quarta-feira (26). "Tudo o que está dentro desse prédio pertence ao Equipe. A Vale não tem nada aí" explica Roberto.

Mas essa história tem, pelo menos, dois lados. A Vale foi procurada pelo Gazeta Carajás e enviou nota sobre o caso.

Nota
A Vale informa que o contrato com o Colégio Equipe foi encerrado em dezembro de 2021, fato de conhecimento da instituição. A Vale já conta com o Centro Educacional Primeiro Mundo, contratado para gerir as operações da escola a partir de 2022.


A Vale reitera que seguirá trabalhando para que a situação se esclareça e para viabilizar o início do ano letivo normalmente.

A Escola Primeiro Mundo também foi procurada pelo Gazeta e enviou uma nota sobre a situação.

Nota

O Centro Educacional Primeiro Mundo, uma das melhores escolas do país, vencedor da concorrência para conduzir as operações do colégio a partir de 2022, seguirá com o propósito de atender as famílias com a reconhecida excelência dos serviços prestados. Reitera ainda que tem plena confiança na contratante e a certeza de que problemas externos não comprometerão o início do ano letivo.

Ainda neste sábado, a direção do Equipe afirmou que as autoridades policiais do município atenderam a solicitação da escola e vão cumprir a determinação judicial. Minutos antes do fechamento desta matéria, a direção afirmou que a polícia estava em direção a escola para cumprir a liminar. De acordo com eles, a esperança é retomar o prédio hoje e voltar a trabalhar amanhã (23).

 Em meio a uma queda de braço que parece longe do fim, quem perde é a comunidade escolar, que segue na incerteza de quando as aulas vão começar e se perderam dinheiro ao fazer matrículas na Escola Primeiro Mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias