Publicidade

Ao investir no Pará, BHP está de olho no promissor mercado de cobre

Perspectiva é que a demanda por cobre aumente ainda mais nos próximos anos. Gigante australiana faz investimentos grandiosos pensando no futuro

23/01/2023 às 18h50
Por: Rowan Pedro Araújo
Compartilhe:
Ao investir no Pará, BHP está de olho no promissor mercado de cobre

A região de cobre da Província Mineral de Carajás aporta uma grande vantagem: a região promete ser uma nova fronteira de mineração de cobre com a chegada da BHP, a gigante mineradora. A mina de Salobo com potencial de 1,4 bilhões é hoje a mais forte do pais e, somadas às outras do cobre brasileiro, respondem por 7% da produção mundial de cobre. Em 2021, o Brasil foi o 10º maior produtor de cobre do mundo

O Goldman Sachs (The Goldman Sachs Group, Inc. é um grupo financeiro multinacional, sediado no Financial District de Nova Iorque. Goldman Sachs foi fundado em 1869 por Marcus Goldman, um empresário alemão-americano, que mais tarde viria a se associar ao seu genro, Samuel Sachs) enxerga os preços médios do cobre em 2023 em torno de US$ 9.750 por tonelada, com o preço médio saltando para US$ 12.000 por tonelada até 2024.

Isso com certeza motiva as políticas de investimento da BHP, a maior mineradora diversificada de minérios do mundo, detentora de know how global da mineração. É uma gigante que detém um quadro de executivos experientes e um corpo técnico altamente competente da geologia, operação, logística e comercialização de minérios diversos.

A base da mineração é da visão de longo prazo. Imediatismo e mineração são coisas antagônicas, explicava Ms.Robert Carpenter, do Instituto do Colorado nos EUA ainda nos anos 40. A BHP investe na região com a aquisição da OZ Minerals por 9,6 bilhões de dólares australianos. São investimentos no Pará na ordem de R$ 35 bilhões com a compra da OZ. Isso porque confia na mineração do cobre paraense, tem tecnologia e recursos para expansão no tempo certo e consequentemente ajuda no progresso regional, operando em padrões de 1º mundo.

Resumindo, a mineração é isso: movimenta bilhões, produz progresso, tecnologia, know how, conhecimento e geração de serviços diversos para suporte operacional. Existe ainda uma rede de suprimentos terceirizada e indireta nessa ênfase: serviços de alimentação, transporte, informática, manutenção civil, projetos, serviços de geologia, engenharia, manutenção diversa, saúde, segurança, meio ambiente e outros correlatos.

Tudo isso gera emprego e renda diretamente e indiretamente à medida que os projetos de mineração regional avançam. Portanto,  as coisas não acontecem do dia para a noite. Os projetos dessa amplitude são divididos em fase e as movimentações conexas se dão também por fases.

Fontes: copper-price-rises-on-hopes-for-better-demand-in-2023/ - Diário do Comércio – BH – UNIDIS – Grupo de Estudos – Mineração em Foco -

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
No Radar da Mineração
Sobre o blog/coluna
O especialista em mineração, Rowan Pedro Araújo, assina a coluna No Radar da Mineração. Com mais de 30 anos de experiência no setor, Rowan vai assinar a coluna No Radar da Mineração, que trará análises semanais sobre o que de mais importante acontece no mundo da mineração.
Rowan vai trazer análises minuciosas e simplificadas da mineração no Pará, Brasil e mundo, com olhar clínico, pontual e preciso sobre tudo o que acontece no setor.
Ver notícias
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,07 -0,03%
Euro
R$ 5,53 -0,27%
Peso Argentino
R$ 0,03 -0,07%
Bitcoin
R$ 123,676,53 +0,10%
Ibovespa
114,244,79 pts -0.02%
Publicidade