Publicidade

Psiquiatra do HCO alerta para sinais e como combater a ansiedade

Estima-se que mais de 150 mil brasileiros lutem contra o transtorno de ansiedade

10/01/2023 às 15h54 Atualizada em 10/01/2023 às 16h01
Por: Redação
Compartilhe:
Psiquiatra do HCO alerta para sinais e como combater a ansiedade

O termo ansiedade pode ter várias definições, entre elas: aflição, angústia ou perturbação. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a pandemia criou uma crise global, com aumento de 25% nos casos de ansiedade e depressão, somente em 2020.

O médico psiquiatra André Luís Santana Gonçalves, que atua no Hospital 5 de Outubro, em Canaã dos Carajás, explica que este sentimento pode ser desencadeado por diversos motivos, como: traumas, estresse, genética, doenças físicas, ou até mesmo a depressão.

“Não existem pessoas que não sofram com crises de ansiedade, todo mundo tem em algum momento. Um agravante é a falta de observação no quanto essa condição está presente na vida da pessoa”, afirma o psiquiatra.

Para o especialista, se esse sentimento ocorresse apenas eventualmente, não haveria com o que se preocupar. No entanto, devido a gigante quantidade de estímulos e gatilhos do que é visto no dia a dia, é possível desencadear um estado de ansiedade crônica, e é aí que mora o verdadeiro problema. “A ansiedade é por si só, uma preocupação de algo que possa vir a acontecer”, explica.

Entre os tipos de ansiedade mais comuns, a OMS destaca os seguintes:

- Transtorno de ansiedade generalizada, caracterizado por uma preocupação excessiva;

- Transtorno do pânico, quando a pessoa tem ataques de pânico; transtorno de ansiedade social, com medo e preocupação excessivos diante de situações sociais;

- Transtorno de ansiedade de separação, que é o medo excessivo ou ansiedade de separação de indivíduos em que a pessoa tem um vínculo emocional profundo.

Alguns dos principais sintomas que podem sinalizar uma crise de ansiedade são tensão muscular, dificuldade de concentração, alteração de sono, taquicardia alta, irritabilidade e fadiga.

Para o psiquiatra, um outro passo importante para combater a ansiedade, é se conscientizar em relação à necessidade de tratar a saúde mental.

Por fim, o psiquiatra explica que a hora de procurar ajuda é quando essa condição começa a atrapalhar sua vida. “Começou a perceber que isso afeta setores da sua realidade, ou simplesmente afeta a capacidade de desligar e relaxar, tem que procurar ajuda de um profissional”, reforça.

Dr. André Luís Santana Gonçalves é Médico Psiquiatra CRMPA 17579 / RQE 8301. Residência Médica em Psiquiatria pelo Hospital das Forças Armadas (HFA) em Brasília/DF.

Os atendimentos podem ser agendados pelos novos canais de agendamento:

Teleagendamento 3003-3230; whatsapp (21) 2272-3053; pelos sites https://hospital5deoutubro.com.br/ ou https://hospitalyutakatakeda.com.br/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,07 -0,07%
Euro
R$ 5,53 -0,26%
Peso Argentino
R$ 0,03 -0,10%
Bitcoin
R$ 124,001,75 +0,40%
Ibovespa
114,177,55 pts -0.08%
Publicidade