Sábado, 26 de Novembro de 2022
Política Política

Helder Barbalho é confirmado na transição do governo Lula

Governador do Pará diz estar otimista e que deve priorizar 'novo modelo de desenvolvimento sustentável para a Amazônia' na transição.

16/11/2022 às 13h58 Atualizada em 22/11/2022 às 10h59
Por: Redação
Compartilhe:
Helder Barbalho é confirmado na transição do governo Lula

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), foi anunciado como integrante da equipe de transição do governo de Jair Bolsonaro (PL) para o o governo Lula (PT). O anúncio foi feito pelo vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, nesta quarta-feira (16).

Em suas redes sociais, Barbalho disse que está "muito otimista com os novos desafios" e agradeceu o convite feito por Alckmin para compor grupo de desenvolvimento regional.

"Juntos vamos pensar o desenvolvimento regional do país. Além de ter sido ministro da Integração Nacional, temos a contribuição sobre um novo modelo de desenvolvimento sustentável para a Amazônia", publicou.

Alckmin fez o anúncio na sede do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília, onde trabalha a equipe de transição. Entre os presentes ao anúncio também estavam a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-ministro Aloizio Mercadante.

Ex-governador de São Paulo, Alckmin foi nomeado coordenador da equipe de transição e tem feito frequentes anúncios sobre os demais integrantes, as áreas em que atuarão e as funções que deverão exercer.

Entre os nomes anunciados nesta quarta estão os de governadores, ex-governadores, deputados, senadores, ex-parlamentares, ex-ministro especialistas em diversas áreas e lideranças indígenas.

Foram anunciados, por exemplo: Marina Silva, Izabella Teixeria, Flavio Dino, Camilo Santana, Helder Barbalho, Paulo Câmara, Randolfe Rodrigues, Omar Aziz, Neri Geller, Kátia Abreu, Helena Chagas, Miguel Rossetto, Manoela D'Avila, Hélio Doyle, Andre Janones, Tereza Cruvinel, Florestan Fernandes Junio, Sônia Guajajara, Aloysio Nunes Ferreira, Celso Amorim e Marcelo Freixo.

Após o anúncio, Alckmin concedeu uma entrevista coletiva na qual disse que o governo Lula não será "gastador", mas que é preciso garantir a rede de proteção social.

(G1 Pará)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.