Sábado, 26 de Novembro de 2022
Educação Cidadãos críticos

Alunos do Primeiro Mundo participam de projeto voltado à produção e interpretação textual

Projeto “Manifesto Como Instrumento de Cidadania” foi realizado pela professora Ana Cecília, da Escola Primeiro Mundo, e envolveu alunos do 9º ano. Estudantes aprenderam mais sobre o gênero textual, bem como a expressar suas opiniões, reforçar argumentos e posicionamentos

10/11/2022 às 16h32 Atualizada em 10/11/2022 às 16h59
Por: Kleysykennyson Carneiro
Compartilhe:

Alunos do 9º ano da Escola Primeiro Mundo, em Canaã dos Carajás, apresentaram na última terça-feira (8), na Câmara Municipal, um manifesto favorável à educação no Brasil. O documento de duas páginas foi lido pela aluna Nicole Costa do 9º ano MA, turma vencedora do projeto “Manifesto Como Instrumento de Cidadania”, promovido pela professora de Língua Portuguesa, Ana Cecília Lourinho.

O texto foi escrito em conjunto pelos nonos anos, fala sobre a importância da valorização da educação brasileira e reforça a necessidade de investimentos em estrutura e mão de obra. Após a leitura, Nicole foi aplaudida pelos vereadores e pelo público presente.

O projeto, que foi idealizado pela professora Ana Cecília, teve a colaboração do professor Rogério Costa, de redação, e mobilizou todas as turmas de 9º ano do Centro Educacional Primeiro Mundo. Conforme explicação dos mestres, o projeto visa estudar o manifesto como gênero textual e sua importância para a organização de pensamentos de forma clara e objetiva e, assim, contribuir para a formação de cidadãos críticos.

Gustavo Bicho, diretor do Primeiro Mundo, falou sobre a importância do incentivo à leitura e interpretação textual na vida dos estudantes. “Quando crianças, jovens e adolescentes são estimulados a criar o hábito de leitura, essas desenvolvem sua capacidade cognitiva de forma superior àqueles que não leem. É notório que que a leitura potencializa a concentração, melhora o foco e o aprendizado. Além de desenvolver um valor muito rico, a empatia. Iremos sempre valorizar projetos que fomentam o aprendizado, a leitura e a capacidade de ajudar o próximo.”

"A gente precisa incentivar três aspectos importantíssimos que sempre caminham juntos: leitura, interpretação e produção de texto" explica o professor Rogério. "Antes deles produzirem o texto apresentado na Câmara, eles leram muitos textos do mesmo gênero, levando a compreensão da importância de projetos sociais para que possam atender a essa demanda populacional. Isso levou os alunos a interpretação de problemas sociais e quais são os atores sociais envolvidos para resolver a problemática. Então, com esse trabalho, a gente conseguiu despertar esses diferentes aspectos nos alunos" finalizou.

A professora Ana Cecília falou sobre o projeto. “O estudo e a produção do Manifesto pela educação provou para os alunos o quanto a visão política e social são importantes para o processo de aprendizagem e convivência. É preciso que eles saibam se posicionar sobre temas que afetam a população, na qual estão inseridos. É imprescindível que os jovens utilizem essa força, o conhecimento, o lugar de fala e saibam argumentar de forma plausível e coerente para assim alcançarmos uma educação de qualidade para todos e todas.”

De olho no futuro e nas grandes causas do país, dos estados e de suas cidades, os alunos se preparam para uma jornada de construção de suas próprias visões, crenças e ideais, bem como se preparam para saber o que, quando e como dizer o que pensam. Não resta dúvidas de que, após um projeto tão importante, cidadãos com mais senso crítico, opinião própria e articulação estão sendo formados.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.