Sábado, 26 de Novembro de 2022
Mineração Mineração

Lula promete mineração sustentável e fim do garimpo ilegal em terras indígenas

“Vamos reconstruir os órgãos de fiscalização e controle do desmatamento. Vamos acabar com o garimpo ilegal em terras indígenas. Em vez de líderes mundiais de desmatamento, queremos ser campeões mundiais do enfrentamento da crise climática" disse Lula

01/11/2022 às 10h21 Atualizada em 06/11/2022 às 17h12
Por: Redação
Compartilhe:
Lula promete mineração sustentável e fim do garimpo ilegal em terras indígenas

Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito para seu terceiro mandato como presidente da república no último domingo (30), vencendo o atual presidente Jair Bolsonaro. De acordo com especialistas, com Lula no governo, a mineração deve se tornar mais verde, ou seja, com mais responsabilidade ambiental.

Foi o que sugeriu Waldir Salvador, consultor de relações institucionais da Associação dos Municípios Mineradores do Brasil, que representa 70% da produção mineral do país. Ao portal MINING.COM, Salvador afirmou que nos últimos quatro anos houve uma redução na proteção ambiental.

“A verdade é que o atual governo praticamente não mudou a realidade do que vinha sendo praticado com as políticas públicas de mineração no Brasil. A mineração no Brasil foi negligenciada por muito tempo”, disse Salvador.

Segundo a Associação dos Municípios Mineradores do Brasil, no primeiro mandato de Lula (de 2003 a 2006), o governo teve um ministro de mineração que construiu um novo marco regulatório para a mineração.

Na semana passada, Lula divulgou a “Carta para o Brasil do Amanhã”, em que menciona a sustentabilidade como um de seus pontos focais:

“Vamos construir um Brasil sustentável. O Brasil tem tudo para ser uma grande potência ambiental. Para isso, é preciso aproveitar a criatividade da bioeconomia e dos empreendimentos da sociobiodiversidade. Vamos iniciar a transição energética e ecológica para uma agropecuária e uma mineração sustentáveis, para uma agricultura familiar mais forte, para uma indústria mais verde”, diz trecho da carta.

A carta também promete desmatamento zero na Amazônia, emissão zero de gases do efeito estufa na matriz elétrica e fim do garimpo ilegal em terras indígenas

“Vamos reconstruir os órgãos de fiscalização e controle do desmatamento. Vamos acabar com o garimpo ilegal em terras indígenas. Em vez de líderes mundiais de desmatamento, queremos ser campeões mundiais do enfrentamento da crise climática e do desenvolvimento socioambiental”, diz a carta.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.