Sábado, 01 de Outubro de 2022
Saúde Saúde

“Falar de saúde mental é estimular a vida”, afirma psiquiatra de Carajás

Neste ano, o tema da campanha Setembro Amarelo é "A vida é a melhor escolha”

06/09/2022 às 12h59
Por: Redação
Compartilhe:
“Falar de saúde mental é estimular a vida”, afirma psiquiatra de Carajás

Setembro é o mês mundial de prevenção ao suicídio. No Brasil, a campanha Setembro Amarelo é realizada desde 2015 com o intuito de trazer à tona a discussão sobre o assunto, diminuir o estigma que pesa sobre o tema e que, muitas vezes, acaba dificultando que as pessoas busquem ajuda profissional.

Segundo o psiquiatra Dr. Sebastião Arli, especialista do Hospital Yutaka Takeda, em Parauapebas, os suicídios estão frequentemente associados à presença de transtornos mentais, principalmente os transtornos de humor, esquizofrenia, abuso de substâncias psicoativas e transtornos de personalidade. “Familiares e amigos de pessoas que possuem pensamentos de suicídio podem ajudar orientando a procurar atendimento especializado e prover um ambiente seguro e continente, de forma que a pessoa se sinta acolhida, proporcionando menor risco de evolução deste comportamento”, reforça.

A primeira medida preventiva da saúde é a educação. “O suicídio está associado a problemas de saúde mental, pois vão contra o instinto de sobrevivência do ser humano. O risco de suicídio é influenciado por fatores psicossociais, predisposição genética, problemas interpessoais, baixa adesão aos tratamentos, além da falta de apoio e escuta”, afirma Dr. Sebastião.

Sobre o tratamento, o especialista ressalta que todas as atitudes que promovem saúde mental podem ajudar. “Os fatores que mais protegem as pessoas de desenvolver depressão e de cometerem o suicídio são uma boa rede de apoio social e psicoeducação, além de bons hábitos de vida, como realizar atividade física e redução no consumo de álcool. O diagnóstico e o manejo correto dos transtornos mentais associados reduzem significativamente o risco de suicídio”, esclarece.

A consulta com um médico psiquiatra é igual a qualquer outra consulta médica. É feita uma entrevista em que se identificam sinais e sintomas e, caso o médico ache necessário, será solicitado exames complementares. O tratamento pode ser farmacológico, psicoterápico ou combinado. Tudo depende do quadro do paciente.

Sebastião Arli Borba da Silva Júnior é médico psiquiatra, fez residência médica no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, no estado do Amazonas e atua há mais de 6 anos em Parauapebas e região. O agendamento de consultas pode ser realizado pelo teleagendamento 3003-3230; whatsapp (21) 2272-3053; e agendamento online https://hospitalyutakatakeda.com.br/ 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.