Quarta, 29 de Junho de 2022
Mineração Mineração

Construção civil brasileira deve voltar a importar aço

Medida serviria para driblar a alta dos preços do insumo no mercado brasileiro

09/05/2022 às 18h59 Atualizada em 02/06/2022 às 19h05
Por: Redação
Compartilhe:
Construção civil brasileira deve voltar a importar aço

Empresas da construção civil pretendem importar aço para driblar a alta nos preços do insumo no mercado nacional. Segundo José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), a medida, adotada no ano passado, pressionou as siderúrgicas brasileiras a baixarem o preço do produto, que agora voltou a subir.

No ano passado, um grupo de quase 140 incorporadoras trouxe duas cargas da matéria-prima da Turquia para o Brasil. Foram cerca de 40 mil toneladas adquiridas por meio da CBIC em conjunto com uma cooperativa de construção de Santa Catarina.

"O aço é muito importante na composição de custo. Não adianta ir lá brigar por um item que é pequeno. O aço é 37% de uma casa, 73% em uma ponte", diz Martins.

A oscilação da matéria-prima aparece em uma pesquisa encomendada pela CBIC para mensurar a alta dos custos da construção em diferentes tipos de obras no estado de São Paulo.

Em uma Unidade Básica de Saúde padrão, com cerca de 280 metros quadrados, o aço respondeu por cerca de 29% do aumento no preço total do projeto entre julho de 2020 e o mesmo mês de 2021, segundo o levantamento.

Já na construção de um prédio de quatro andares de apartamentos, sem elevador e com 808 metros quadrados, a matéria-prima representou 34% do aumento na mesma base de comparação.

O levantamento usou como referência os custos de insumos do Sistemas Nacionais de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) e do Sistema de Custos Referenciais de Obras (Sicro).

Em abril, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou a maior alta para o mês desde junho de 2021, de 0,95%, segundo a entidade.

A elevação do preço foi puxada pelo cimento, que também voltou a preocupar o setor neste ano, seguido por elevador, massa de concreto, argamassa e vergalhões e arames de aço. O custo com a mão de obra também subiu.

 

(Notícias de Mineração com informações da Folha de São Paulo)

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.