Terça, 17 de Maio de 2022
Canaã dos Carajás Denúncia

Hospitais da Vale em Canaã e Parauapebas têm dívida de R$ 1,5 milhão com médicos

Hospitais 5 de Outubro e Yutaka Takeda acumulam dívida milionária e profissionais estão com medo de calote. Profissionais que estão sem receber estavam na linha de frente durante pandemia

15/04/2022 às 11h18
Por: Kleysykennyson Carneiro
Compartilhe:
Hospitais da Vale em Canaã e Parauapebas têm dívida de R$ 1,5 milhão com médicos

A redação do Gazeta Carajás recebeu uma denúncia anônima que é preocupante. Os hospitais da mineradora Vale em Canaã dos Carajás e Parauapebas estão devendo muito dinheiro para médicos que prestaram serviço às unidades nos últimos anos. De acordo com a denúncia, os hospitais 5 de Outubro e Yutaka Takeda acumulam dívidas com os profissionais que podem ultrapassar R$ 1,5 milhão. A situação, conforme explica a denúncia, é caótica e pode colapsar a saúde nos dois municípios.

Os valores seriam referentes a trabalhos prestados e não pagos ainda em 2021. Profissionais médicos das especialidades de pronto socorro, clínica médica, pediatria, cirurgia geral, anestesia e ortopedia são os que sofrem com os problemas, pois, segundo informado, têm apenas os hospitais da Vale como fonte de renda. Vale destacar que esses profissionais estiveram na linha de frente no combate à pandemia de Covid-19.

A situação pode ficar ainda pior, pois há possibilidade dos médicos abandonarem seus postos por medo de calote. É importante lembrar que a administração dos hospitais, até o final de 2021, estava a cargo da empresa Pró-Saúde, que divulgou nota sobre o caso, confirmou a dívida, mas não explicou quando os médicos serão pagos.

Veja abaixo:

A Pró-Saúde informa que segue sua agenda de amortização das pendências com prestadores de serviços médicos que atuaram pela entidade na gestão dos hospitais Yutaka Takeda e 5 de Outubro, no interior do Pará. A entidade reforça que todos os compromissos serão devidamente cumpridos.

 

A mineradora Vale também foi procurada pela reportagem e enviou nota sobre o caso.

 

A Vale esclarece que segue rígidos padrões de contratação e não mede esforços para que seus prestadores de serviços e fornecedores cumpram com as suas obrigações e responsabilidades legais e contratuais.

A empresa encerrou o contrato com a Pró-Saúde, que fez a gestão hospitalar do Yutaka e 5 de Outubro até dezembro de 2021 e cujos pagamentos por parte da Vale foram totalmente quitados e/ou bloqueados na Justiça para pagamento de encargos trabalhistas dos empregados, equipe médica e demais prestadores, que atuavam nas unidades.

 

Atualmente, as duas unidades públicas são geridas pela Rede D’Or, que não se manifestou sobe o caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias